terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Clareamento Dentário com Fitas Clareadoras Podem Causar Câncer!


Por estes dias saiu esta matéria sobre o poder carcinogênico do clareamento dentário numa matéria do Jornal da Cidade de Bauru no caderno de Ciências do professor Alberto Consolaro (USP-Bauru) sobre as fitas de clareamento dentário que agora vão entrar na moda no Brasil. Aliás, recomendo a leitura dos textos do professor Consolaro pois ele escreve sobre informações de relevância científica de uma forma interessante e informativa que podemos passar para os nossos pacientes.


A moda do auto clareamento caseiro nos Estados Unidos já foi consolidada no mercado há algum tempo. Estima-se que kits de clareamentos caseiros venderam mais de 65 milhões  em apenas um ano! Imagine como a indústria de cosméticos fatura somente com este produto todos os anos?

Então, resolvi pegar alguns estudos sobre o peróxido de hidrogênio e sua associação com o câncer para escrever sobre o assunto.

O poder carcinogênico do peróxido de hidrogênio e peróxido de carbamida já é reconhecido na literatura científica. Sabe-se que são substâncias altamente reativas e podem danificar o tecido mole e tecidos duros em determinadas concentrações por tempo prolongado de uso.

Estudos celulares sobre o poder de mutação do clareador no DNA são altamente variáveis mas associados a outros fatores como bactérias, vírus, agentes físicos (Fumo, altas temperaturas) e agentes químicos (bebidas álcoolicas) podem ser carcinogênicos, não somente oral, como a distância no esôfago, estômago e intestino.

E todos os estudos dão algumas diretrizes no uso de clareadores:


Produtos que contenham concentração maior do que 5% de peróxido de hidrogênio devem conter uma advertência para evitar a ingestão e o contato com pele e mucosa
 A fita clareadora tem 10% de concentração de peróxido de hidrogênio e não evita contato com a mucosa da boca, gengiva ou periodonto.


Produtos clareadores utilizando peróxido de hidrogênio devem avisar a necessidade de proteção da gengiva por diques de borracha. 

Existe alguma proteção das gengivas em relação as fitas clareadoras?


A utilização do clareador deve ser evitada em tecidos doentes ou danificados 

Será que o próprio paciente sabe fazer este diagnóstico sem o auxílio de um dentista?


Mesmo o clareamento caseiro supervisionado pelo dentista deve-se evitar o uso prolongado. 

Como uma pessoa leiga está preparada para diferenciar o que o uso terapêutico do uso prolongado?

Ficam portanto, alguns questionamentos não para simplesmente causar pânico, mas evidências científicas que merecem maior atenção por parte dos profissionais da odontologia. 


Outros sites que também falaram sobre o assunto:

Fonte:
  • Naik S, Tredwin CJ, Scully C. Hydrogen peroxide tooth-whitening (bleaching): review of safety in relation to possible carcinogenesis.  2006 Aug;42(7):668-74. Epub 2006 Feb 20.
  • Pontes ECV, Gomes LRM, Soares DGS, Ribeiro APD, Hebling J, Costa CAS. Citotoxicidade Transamelodentinária de uma Fita Clareadora com 10% de Peróxido de Hidrogênio Sobre Células de Linhagem Odontoblástica. Rev Odontol Bras Central 2012;21(56).
  • Soares DGS, Ribeiro APD, Sacono NT, Coldebella CR, Hebling J, De Souza Costa CA. Transenamel and transdentinal cytotoxicity of carbamide peroxide bleaching gels on odontoblast-like MDPC-23 cells. Int Endod J. 2011;44(2): 116-25.
  • Swift EJ Jr, Heymann HO, Wilder AD Jr, Barker ML, Gerlach RW. Effects of duration of whitening strip treatment on tooth color: A randomized, placebo-controlled clinical trial. J Dent. 2009;37(Suppl1): e51-6.

Nenhum comentário:

Postar um comentário