quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Expansão da Maxila: Ortodontia Baseada em Evidência Parte IV

aparelho haas

O tema de hoje, na série "Ortodontia Baseada em Evidência", é o tratamento dos problemas transversais da maxila. No texto anterior, falei sobre o tratamento da maloclusão de Classe III baseada em evidência. A estabilidade, no pós tratamento após expansão rápida da maxila, suscita muitas dúvidas quanto à efetividade dos diversos tratamentos propostos para este problema.

Leia as conclusões desta revisão sistemática quanto ao tratamento de expansão da maxila e dos problemas transversais dos maxilares:

Estabilidade longitudinal pós-contenção de largura intercaninos mandibular
  • independentemente do diagnóstico da doença e das modalidade de tratamento, se houveram ou não exodontias, a largura intercanina mandibular tende a aumentar durante o tratamento cerca de 1 a 2 mm, e a diminuição no período pós contenção é de aproximadamente à dimensão original e mostra uma variação líquida no período de contenção entre 0,5 a 0,6 mm. 
Tamanho do efeito da expansão rápida da maxila
  • Uma expansão significativa de 6mm, resulta durante o período de contenção em uma diminuição de 4,9mm em média. No período de contenção (curto prazo) passou a 3,9mm. No longo prazo diminuiu para 2,4mm de expansão residual. Os autores concluíram que a maxila não permanece maior do que é documentado no crescimento normal, isto é, não existem provas suficientes para sustentar que a expansão alcançada além do que é esperado no desenvolvimento normal da maxila no longo prazo. 
Procedimentos para correção de mordida cruzada posterior
  • Placa oclusal na dentição primária, com ou sem adição de expansor removível, é efetivo na prevenção de mordida cruzada posterior e se perpetua na dentição mista ou permanente
  • Não foi encontrada evidência quanto a uma diferença no efeito do tratamento , com expansão em molar ou canino, comparando expansão em pacientes bandados em dois pontos x quatro pontos , bandado x expansão maxilar lenta, barra transpalatina com ou sem torque vestibular de raiz, aparelho de expansão removível superior vs quadrihélice
Alterações transversais, ântero-posterior e vertical dentárias e esqueléticas imediatas após o tratamento ortodôntico com expansão rápida da maxila
  • As maiores mudanças imediatamente após a expansão rápida da maxila foram observados no plano transversal maxilar . O aumento de largura maxilar deveu-se à expansão dental ao invés de expansão esquelética verdadeira. Apenas poucas alterações verticais e ântero-posteriores foram estatisticamente significativas, mas nenhuma delas foi clinicamente significativa.
Fonte:
  • Papadopoulos MA. Meta-analyses and orthodontic evidence-based clinical practice in the 21 century. Open Dent J. 2010;4:92-123, Jul 16.

Nenhum comentário:

Postar um comentário